top of page

Livros

Livro - A Menina da Coluna Torta, por Julia Barroso
Livro - A Mulher da Coluna Torta, por Julia Barroso
  • Foto do escritorJulia Barroso

Escoliose congênita e uma história inspiradora

Atualizado: há 7 dias

Pessoal, esses dias conversei com uma seguidora de 16 anos que me contou a sua história com a escoliose congênita, porque gostaria muito de ajudar outras pessoas que passam pelo o que ela passa. Entre altos e baixos, ela segue firme na luta para tratar a deformidade e é mais um caso de pura inspiração.


Deixo com vocês abaixo o relato que ela me enviou:


"Olá, meu nome é Glória Cristina Schubert, tenho 16 anos e sou de Joinville - Santa Catarina. A minha história com a escoliose vem desde a minha formação na barriga da minha mãe, caracterizando uma escoliose congênita, que só foi descoberta aos meus 6 meses. Além disso, com alguns dias de vida eu parei de respirar, então não ganhava peso e não conseguia ingerir o leito materno. Quando a escoliose foi descoberta, meus pais procuraram ajuda médica para saber o que era e os médicos disseram a eles que eu deveria ter a formação primeiro para depois analisarem a situação. Passou algum tempo e quando eu tinha 4 anos fui ao ortopedista já com o quadro diagnosticado de escoliose congênita. Nesse momento, o médico avaliou algumas questões como, por exemplo, se fizéssemos a cirurgia com aquela idade eu não iria mais crescer e o risco seria a perda dos movimentos da perna. Com essas informações que receberam, meus pais decidiram não fazer a cirurgia da escoliose por medo de acontecer algo ruim comigo.


Cresci e, aos meus 6 anos, entrei no colégio. No primeiro dia de aula a professora falou: "A Glória é uma criança igual as outras, só tem um problema, mas que não a diferencia de todos vocês aqui dentro". Confesso que não tinha entendido. Qual era o meu problema? Quando criança eu não fazia ideia de que eu tinha e, claro, ainda tenho escoliose. Confesso que nas minhas idas ao médico, eu só observava, porque ainda não entendia nada a respeito. Com meus 10 anos comecei a ter grande dificuldades, como bullying na escola que eu acabava não contando para os meus pais. Foram vários xingamentos, inclusive um deles que me marca até hoje: o tal do "tumor". Sinceramente, aquilo me desencadeou muitas coisas e, aos 12 anos de idade, eu estava sempre deitada no meu quarto chorando com as seguintes perguntas na cabeça: Por que eu existo? Por que passei por tudo isso? Por que não posso ser normal? Isso tudo não só me trouxe ansiedade, como também a depressão.


Confesso que não dizia aos meus pais, porque eles também não sabiam como lidar com tudo isso. Quando minha mãe descobriu, entrou em depressão e, na minha última consulta, percebi de longe a aflição do meu pai. Foi a primeira vez que vi um homem chorar na vida, então sempre guardei as coisas para mim. Com o tempo as coisas foram mudando. Não estou dizendo que aceito a gravidade da curvatura e é por isso que tenho ido a um ortopedista, mas fui acolhida por algumas pessoas e, especialmente, por Deus. Posso dizer que a religião, no momento da minha depressão, foi a saída para mim. Encontrei em Jesus motivos para me levantar de onde eu estava e lutar. Ainda continuo lutando para vencer e confesso que estou feliz com o meu progresso. Em 28 de setembro deste ano (2023), apresentei uma palestra junto com colegas de turma do meu colégio e ali pude relatar toda a minha vida, o que me trouxe uma grande uma paz de espírito. Poder dizer o que sentimos é realmente muito bom e quando não tinha para quem falar por conta da vergonha que sentia (eu não podia tocar no assunto que já chorava muito) eu escrevia, expressando todas as emoções em um papel, aliviando a minha alma.


Como disse anteriormente, ainda luto para conseguir tratar a escoliose. Mas meu maior sonho é poder ajudar as pessoas que passam pelo mesmo problema que eu e dizer que "você não está sozinho" nessa causa".


escoliose congênita
Essa é a radiografia da escoliose da Glória

Caso você também passe por isso e queira conversar com a Glória, me envia DM no Instagram. Compartilhe essa história e seja um canal de ajuda para quem precisa!!!


Quer descobrir mais histórias de vida inspiradoras? Confira todos os depoimentos que publicamos aqui no nosso blog.

160 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Seção Saúde
Seção Superação
Seção lazer
Seção artigos
Seção crônicas

Arquivo

Destaques

Tags

bottom of page